Instalação elétrica residencial: tire suas dúvidas sobre fios e cabos!

ler post

Ligar um aparelho na tomada e derrubar a energia da casa não é apenas uma situação incômoda: é um alerta de que a sua instalação elétrica residencial pode estar com problemas.

Os riscos vão desde aumento exagerado na conta de luz até curtos-circuitos que podem causar incêndios. Para garantir a segurança do seu lar, é preciso fazer um planejamento cuidadoso das instalações elétricas e procurar a ajuda de um profissional habilitado.

Um dos primeiros passos é entender como usar fios e cabos adequadamente. Neste post, vamos esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto! Confira!

Qual a diferença entre fios e cabos elétricos?

Fios e cabos são condutores elétricos, ou seja, conduzem a corrente elétrica para ligar eletrodomésticos, lâmpadas e outros itens que precisam de eletricidade. São geralmente feitos de cobre e revestidos com material isolante, como PVC e borracha nitrílica. 

O fio é composto por um único filamento. Por isso, é rígido e não pode ser dobrado. Já o cabo é formado por vários filamentos mais finos, que garantem maior flexibilidade. Assim, quanto mais fios dentro de um cabo, mais flexível ele fica.

Não há diferenças na condução da corrente elétrica quando os fios e cabos apresentam a mesma espessura (ou seção). Por exemplo, um fio de 1,5 mm² e um cabo de 1,5 mm² têm a mesma capacidade de conduzir corrente. 

Qual é a melhor opção: fios ou cabos?

Fios e cabos elétricos também não diferem quando o assunto é durabilidade. Logo, a escolha entre um e outro vai depender do local da casa onde serão usados e das preferências do instalador.

Enquanto o fio costuma ser aplicado em quadros elétricos e instalações mais simples, o cabo é recomendado para variados tipos de instalações porque desliza com facilidade dentro dos dutos.

Como escolher fios e cabos para instalação elétrica residencial?

Independentemente de você optar por fios ou por cabos, é importante estar atento à espessura dos condutores. De acordo com a norma brasileira de instalações elétricas de baixa tensão, a seção mínima para fios e cabos em circuitos de iluminação é 1,5 mm². Para circuitos de força, como tomadas, é 2,5 mm².

A espessura ideal depende dos tipos de aparelhos usados na residência e da capacidade dos disjuntores. Além disso, é preciso cuidado para que os condutores possam ser inseridos e retirados com facilidade do duto, de acordo com a taxa de ocupação máxima estabelecida pela norma. Novamente, fica clara a importância de contar com um profissional que conheça as regras vigentes. 

O que representam as cores de fios e cabos?

Cada cor indica uma função dos condutores elétricos. Veja os significados abaixo:

  • azul: condutor neutro, ou seja, que não possui tensão e que funciona como retorno da corrente elétrica;
  • verde ou verde/amarelo: condutor de proteção (o popular fio terra), que desvia para o solo a corrente que escapa dos fios e, assim, evita choques;
  • vermelho, branco, cinza ou outras cores (exceto azul, verde e amarelo): condutor que possui carga.

Para ter uma instalação elétrica residencial segura, fique atento aos sinais de desgaste e sobrecarga do sistema, como quedas seguidas dos disjuntores. Também procure fazer uma revisão completa quando a instalação completar 10 anos e, após esse período, a cada 5 ou 6 anos. Assim, poderá verificar o estado dos fios e cabos, dutos, interruptores, entre outros itens.

Preparado para cuidar da parte elétrica da sua casa? Deixe um comentário neste post e ajude outros leitores na tarefa de tornar seus lares mais seguros!

Tags: